g2h

level

segunda-feira, 8 de março de 2010

jardim paulista sao paulo

Jardim Paulista (bairro de São Paulo)

Jardim Paulista Rua Padre João Manuel, com a avenida Paulista ao fundo.
Bairro de São Paulo São Paulo City flag.svg
Imigração predominante: Inglaterra e Países Baixos
Distrito: Jardim Paulista
Subprefeitura: Pinheiros
Região Administrativa: Oeste

O Jardim Paulista é um bairro nobre da zona oeste da cidade de São Paulo localizado no quadrilátero formado pela Avenida Rebouças, Avenida Paulista, Avenida Brigadeiro Luís Antônio e pela Rua Estados Unidos. Faz parte do distrito homônimo e é administrado pela subprefeitura de Pinheiros. Forma ainda em conjunto aos bairros Jardim América, Jardim Paulistano e Jardim Europa, a nobre região paulistana conhecida como Jardins.




O Jardim Paulista limita-se ao norte com os bairros do Pacaembu e Consolação, a leste com os bairros da Bela Vista e Paraíso, ao sul com os bairros do Ibirapuera e Jardim América e a oeste com o bairro de Cerqueira César. A topografia do bairro apresenta dois trechos com características distintas: o primeiro é relativamente plano e vai da Rua Estados Unidos até a Alameda Lorena, daí em diante, as vias em direção à Avenida Paulista, assumem a forma de aclive.

Fisicamente, o bairro tem a forma de um retângulo, tendo sido projetado um sistema de ruas paralelas formando um grande quadriculado. Ao todo, são 138 quadras desenhadas por 4 importantes avenidas, 54 ruas e alamedas e 27 ruas sem saída.


No perímetro do Jardim Paulista não há um shopping center, propriamente dito, mas é grande a proximidade do bairro com grandes shoppings da cidade. A despeito desses grandes estabelecimentos, esta região abriga as lojas das marcas mais exclusivas do país. Concentradas na Rua Oscar Freire, e adjacências, é possível encontrar ícones da joalheria como Tiffany & Co., Cartier e Bvlgari, luxuosas grifes como Dior, Versace e Giorgio Armani ou os cobiçados produtos das marcas Louis Vuitton, Montblanc e Bang & Olufsen. A lista de marcas caras e famosas é tão extensa que fez a Mystery Shopping International eleger a Oscar Freire como a oitava melhor rua de comércio de luxo do mundo.
Conjunto Nacional na avenida Paulista.

Um dos ícones do bairro é a rua Augusta, que marcou época ao ditar a moda dos anos 1960 e atualmente reúne um comércio variado, bares e lanchonetes. Ali funciona a Galeria Ouro Fino, com lojas alternativas freqüentadas por DJs, modelos, músicos, fashionistas e modernos em geral.[2] Outra referência do bairro é o Conjunto Nacional, localizado na Av. Paulista, que possui restaurantes, cinema e diversas lojas onde se destaca a gigantesca Livraria Cultura.[3] O Jardim Paulista possui ainda outras duas grandes livrarias: a Fnac na alameda Santos e a Livraria da Vila na alameda Lorena.
O bairro está localizado ao fundo do Parque Trianon.

A região conta com sete supermercados, dentre os quais, a Casa Santa Luzia é o mais antigo. Esse sofisticado supermercado é conhecido por vender finas iguarias importadas e abriu suas portas pela primeira vez em 1926 para uma rua Augusta que não tinha sequer calçamento. Migrou depois para a Alameda Lorena onde está até hoje.[4] As feiras-livres do bairro ocorrem aos domingos — na Alameda Lorena —, às quartas-feiras — na alameda Fernão Cardim —, às quintas-feiras — na rua Barão de Capanema — e às sextas-feiras — na rua Capitão Pinto Ferreira.

Aos domingos, em frente ao Parque Trianon, na av. Paulista, as calçadas dão lugar a uma movimentada feira de artesanatos. E no mesmo dia, bastando atravessar a avenida, há a tradicional feira de antiguidades no vão livre do MASP.[5]
O Renaissance São Paulo Hotel, hotel de luxo da rede Marriott.
[editar] Hospedagem

Devido à localização privilegiada e atrações de peso, a área reúne também muitos flats e hotéis de luxo. Muitos dos hotéis cinco estrelas da cidade estão no Jardim Paulista: Renaissance, Grand Meliá Mofarrej, Unique, Emiliano e Fasano.

Isso faz com que esta região dos Jardins seja um dos principais centros turísticos da cidade de São Paulo. Local ideal para hospedar viajantes a negócios (a região conta com diversos heliportos espalhados, principalmente, ao longo da avenida Paulista) ou aqueles que vêm a turismo e desejam um ponto de partida de fácil acesso às atrações de outras regiões da cidade.[6]
[editar] Gastronomia

No quesito gastronomia, o bairro é um dos expoentes máximos da cidade no que se refere à variedade e qualidade de seus estabelecimentos. Alguns dos melhores restaurantes do Brasil, de acordo com o conceituado Guia Quatro Rodas, estão localizados no Jardim Paulista. Entre eles está o restaurante D.O.M., do chef Alex Atala, premiado pela revista inglesa Restaurant Magazine como um dos melhores do mundo em 2006 e 2007. Destaca-se ainda a alta gastronomia italiana do Fasano, comandada por Salvatore Loi, eleito chef do ano pela revista Veja em 2001 e 2004 e pela revista Gula em 2002, e cuja propriedade pertence ao restauranteur Rogério Fasano, proprietário dos restaurantes Gero e Nonno Rugero também localizados no bairro. Outra instituição paulistana é o Massimo, dos irmãos Massimo e Venanzio Ferrari, cotado pelo crítico Josimar Melo, da Folha de S.Paulo, como um dos melhores da cidade.


Brilham ainda nesta constelação de sabores, as cozinhas dos restaurantes Antiquarius (chef Antônio Alves), Skye (chef Emmanuel Bassoleil), A Figueira Rubaiyat (chef Luciano Nardeli e Francisco Gameleira), La Pasta Gialla (chef Sergio Arno, um dos cinco melhores chefs em culinária italiana do mundo e o melhor chef de cozinha italiana da América Latina pela Costigliole d'Asti na Itália), Bistrô Charlô (chef Charlô) e La Risotteria (chef Alessandro Segato, dono de duas estrelas do guia Michelin. As opções, ainda que predominantemente italianas como em toda a cidade, vão da cozinha judaica à asiática, passando pelas culinárias orgânica, mediterrânea, contemporânea e internacional.[8]
O Teatro Popular do SESI está situado no emblemático edifício Sede da FIESP.

Localizam-se no Jardim Paulista o conhecido Teatro Procópio Ferreira que data de 1948 e foi palco das gravações do humorístico Sai de Baixo, da Rede Globo, na década de 1990;[9] o Teatro Renaissance, no hotel de mesmo nome e o Teatro Popular do SESI, no prédio da FIESP.

Apesar de não ter em seu trecho nenhum museu, estão no bairro inúmeras galeria de arte como a Galeria Luisa Strina, Monica Filgueiras Galeria de Arte e Galeria Berenice Arvani. Além disso, há inúmeras escolas de arte, a de mais destaque é a Escola São Paulo, responsável por ministrar cursos e palestras em diversas áreas como: Cinema, Fotografia, Moda, Arquitetura, Design, Gastronomia, entre outros. Localiza-se no bairro, na Rua Augusta, a sede do respeitado Ballet Stagium.

Apesar de vários cinemas do bairro terem sido fechados nas últimas décadas, ainda estão na região o Cinesesc, Cine Bombril (no Conjunto Nacional) e Gemini.


É relativamente fácil se locomover de automóvel nesta região dos Jardins. Ao contrário das sinuosas ruas do Jardim Europa e Jardim América repletas de bifurcações e rotatórias, aqui, a despeito do relevo irregular, as ruas são retas e os cruzamentos se dão, invariavelmente, num ângulo de 90º. O tráfego é feito, em sua imensa maioria, por vias de mão-única intercaladas, ou seja, se uma rua tem o seu tráfego numa determinada direção, o da rua seguinte segue em direção oposta – embora nem sempre haja lugar para estacionar nas vagas delimitadas pela Zona Azul. Como toda via movimentada, as principais ruas e avenidas do bairro também estão sujeitas aos humores do trânsito, que pode ser bem ruim na Augusta, Estados Unidos, Rebouças e 9 de Julho.

Os ônibus municipais circulam pelas avenidas Rebouças, Paulista, Nove de Julho, Brig. Luís Antônio e pela Rua Estados Unidos (no trecho entre as duas últimas avenidas) e Rua Augusta. O Jardim Paulista conta ainda com três estações do Metrô: Trianon-Masp e Consolação na Linha 2-Verde (antiga Linha Paulista), e Oscar Freire (em construção) na Linha 4-Amarela.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre
http://pt.wikipedia.org/wiki/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Google+ Badge